FANDOM



Roger Scruton explora o lugar ocupado por Deus num mundo em que a crença no divino é rejeitada, considerada um sinal de imaturidade emocional e intelectual. Este livro é uma resposta à cultura ateísta que cresce hoje à nossa volta, e também uma defesa da singularidade humana. Ele refuta a afirmação de que não existe propósito no mundo natural, e argumenta que o sagrado e o transcendental são “presenças reais”, por meio das quais os seres humanos podem se conhecer e encontrar tanto sua liberdade quanto sua redenção. No rosto humano encontramos um paradigma de significado. E a partir dessa experiência, diz Scruton, construímos o rosto do mundo e também nos dirigimos ao rosto de Deus. Encontramos no rosto a prova da nossa liberdade e a marca da autoconsciência. Uma das motivações da cultura ateísta é escapar do olho que julga. Escapamos do olho que julga apagando o rosto, e isso, afirma Scruton, é o aspecto mais perturbador da época em que vivemos. O autor explica que a crescente sensação de destruição que experimentamos, bem como nossos hábitos de busca de prazer e consumismo, apagam o rosto do mundo. Este livro defende o mundo consagrado de um hábito de profanação e oferece uma visão do modo religioso de viver em tempos de provação.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória